quarta-feira, novembro 04, 2009

Moda e proteção animal: Maria Simone lança coleção Nermal



Não poderiam inventar uma união mais perfeita: moda, proteção aos animais e preservação do meio ambiente. É por isso que eu sempre apoiei essas causas e sempre vou ressaltá-las aqui no blog. Afinal, nosso objetivo não é apenas falar do que está em voga na moda do momento, mas também repassar aos leitores conscientização, conhecimento e cultura geral.

Uma dessas iniciativas que há um bom tempo admiro, é o trabalho da marca paulistana Maria Simone, cujas peças customizadas e bordadas à mão são inspiradas nos gatos. Parte da renda obtida com a venda de alguns dos produtos baseados nesses bichinhos é revertida a duas ONGs de proteção animal: a Adote um Gatinho e a Bicho no Parque.

Uma coisa interessante é que alguns felinos fazem parte da rotina do ateliê da estilista Simone Andreta, proprietária da marca, mas um em especial vem, recentemente, chamado a atenção. Trata-se de Nermal, encontrado nas ruas abandonado e machucado. Segundo o pessoal do ateliê, o bichano pertencia a uma senhora que veio a falecer e por isso acabou abandonado nas ruas pelos filhos dela (aí, gente, que horror! Não sei como existem pessoas capazes de fazer uma coisa dessas), que decidiram vender a casa onde os dois moravam.

A Simone Andreta decidiu, então, ficar com o Nermal. O gatinho foi submetido a todos os cuidados médicos, mas depois de alguns exames descobriu-se que ele é portador de leucemia felina, uma doença contagiosa muito séria e pouco conhecida, normalmente contraída nas ruas.
O choque, vocês imaginam, foi tremendo. Mas a doçura do felino, que mesmo doente, apresentava uma grande vontade de viver, inspirou o lançamento de uma linha especial: a Nermal. São camisetas, bolsas, broches, bandanas, faixas de cabelo, vestidos, presilhas, carteiras, nécessaires, chaveiros e porta-celulares estampados com o gatinho de olhar apaixonante. E olha, tudo muito delicado: bordados à mão e criados com a missão de auxiliar o tratamento na luta contra a leucemia.









Além disso, Simone garante que as peças cumprem um papel educativo, pois acompanham um folheto alertando sobre a importância da posse responsável e os perigos que um animal corre nas ruas. Não é demais? Adorei a iniciativa!

É isso aí, gente, quando vocês adotarem um bichinho, qualquer que seja, saibam que é preciso ter, além de muito amor e respeito para dar, responsabilidade. O animal é como um filho. Ele pode ser considerado irracional, mas tem sentimentos e quem tem um em casa sabe muito bem que eles são amáveis, retribuem o amor de seus donos e são muito, mas muito inteligentes. Eu que o diga! Yves Saint Laurent, um gatinho Persa (assim como o Nermal que acaba de ganhar um amiguinho) é preto, tem dez meses de idade é a atração da minha casa. Segue a foto do bichano quando ainda era bebezinho. Ele não é lindão?



Serviço:
Maria Simone
Endereço: Rua Wisard, 287 – Vila Madalena – São Paulo
Horário de funcionamento: De segunda a sexta, das 10 às 19 horas. Aos sábados, das 10 às 18 horas.
Tel: (11) 3811-9335
Site: www.mariasimone.net (também para vendas pela internet)

E para quem quiser conhecer com mais detalhes a história do Nermal aqui vai o relato que a Simone Andreta enviou para o blog:

Nermal - a história

O gatinho Nermal foi encontrado nas ruas da Vila Madalena pelo filho da estilista, numa noite de sexta-feira. Ele, então, avisou a mãe sobre o gatinho machucado, a três quarteirões da loja Maria Simone. Munida da caixinha de transporte e imaginando um filhote arisco, Simone seguiu para resgatá-lo. Porém, o bichano em questão era um lindo Persa Exótico azul, já adulto, sentadinho calmamente, com olhinhos curiosos. “Trouxemos para casa, e observamos que ele tinha coleira com identificação, nome e telefone”, conta. “Comecei a imaginar por que um gato com identificação ficaria pelas ruas, e com um machucado na perna bastante feio. Talvez tivesse caído de alguma janela de apartamento sem tela, ou teria fugido de casa e se acidentado? Não poderia ter sido abandonado, pois um animal com identificação, normalmente, indica que o dono seja consciente e responsável”, explica.

Nermal passou a noite em um cômodo separado, para no sábado cedo ser levado ao veterinário. Enquanto isso, mãe e filho tentavam, insistentemente, ligar no número que constava na placa de identificação. Nem sinal de chamada. “Já no veterinário, descobrimos, pelo número de telefone, quem seria a dona do gatinho. Segundo a dona do Pet shop, era uma senhora idosa, que havia falecido, pois já estava doente do coração há algum tempo. Com a casa posta à venda, deduzimos que os filhos daquela senhora simplesmente abandonaram o animal, tão querido pela mãe”, Simone conta, emocionada. Pelo diagnóstico do veterinário, o ferimento já deveria ter por volta de uma semana, e estava infeccionado. Simone passou uma semana tratando do ferimento, e esperando encontrar um dono que pudesse cuidar dele com muito carinho e o máximo de atenção. “Ele se mostrou um gato deprimido, carente ao extremo, e com o olhar mais doce que já vi”, derrete-se. “Consegui uma adoção pra ele, mas depois de apenas três dias, ele foi devolvido, por motivos particulares da adotante. Por todo stress que ele já havia passado, pelo abandono, ferimento, mudanças de casas, decidi que não o doaria mais, pois me apaixonei por ele logo no primeiro dia em que ele chegou”, revela.

Após a decisão, Simone resolveu fazer um check up completo, pois por ter sido recolhido da rua já adulto, ninguém sabia se havia sido vacinado, ou se era portador de alguma doença que pudesse ser transmitida aos outros gatos que ela já tinha. “Não deu outra, deu positivo para leucemia felina. Embora com uma "dosagem" baixa, foi um choque. Não bastasse todo o sofrimento que ele já tivesse passado, ainda adquiriu uma doença, muito provavelmente por ter estado vagando pelas ruas”, conta. Hoje ele está em tratamento, com expectativa de zerar a doença, mas ainda assim, correndo risco.
“Espero que esta história sirva de exemplo pra que as pessoas pensem muito antes de adquirir um animal, seja ele comprado (ele é de raça, provavelmente foi comprado), ou adotado. A importância de manter o gato longe das ruas, dos perigos que pode correr - ser mal tratado por pessoas sem coração, ser atropelado, ferido em brigas, adquirir doenças. E também é preciso pensar na questão de quando, num caso como o do Nermal, do dono vir a falecer, os parentes ou amigos próximos terem a consciência ou compaixão de colocar o animal para doar, aos cuidados de quem gosta e pode cuidar de maneira responsável. O abandono é sofrido e injusto”, finaliza.

2 comentários:

Pérola Charmosa disse...

Olá boa noite!
Parabéns pelo seu Blogepois da notícia que li hoje...não pude suportar tomei uma iniciativa e gostaria de saber se posso contar com sua ajuda!!!
Coloquei uma postagem a fim de arrecadar assinaturas para poder enviar um projeto ao congresso para extradição desse tipo de gente!!! Se puder divulgar essa informação te agradeço demais.
Quanto mais assinaturas melhor!!!
O meu blog é o pérolas charmosas.

Obrigada

Jumara Cardoso disse...

Oi Pérola! Obrigada pelo comentário. Meu sinto muitíssimo bem em saber que existem pessoas com a sua sensibilidade.
É claro que posso ajudar. Sua iniciativa é preciosa para a causa animal. Tentei acessar seu site, mas estava fora do ar. Por favor, veja o que está acontecendo e assim que estiver Ok, me avise que logo irei assinar o apoio ao projeto.

Bjs fashions!

Jumara Cardoso

Leia mais

Related Posts with Thumbnails